Vacinas para filhotes de cães – Prevenção

5.00 avg. rating (95% score) - 1 vote

Tipos de vacinas essenciais para filhotes de cães. Cinomose, Parvovirose, Hepatite e Leptospirose são algumas das doenças em filhotes, como evita-las com um plano preventivo de vacinação.

Ter um filhote em casa é como ter uma criança: é preciso amor, carinho e cuidados especiais para que ele não adoeça e, se adoecer, que receba o tratamento e medicação adequada. Mais suscetíveis a doenças estão os cãezinhos de até 1 ano de idade, cujo sistema imunológico ainda está sendo formado. Por isso a primeira vacinação é tão importante. Dada nas doses certas, ela vai ajudar seu filhotão a criar todas as defesas necessárias para passar ileso para a idade adulta e continuar com o calendário anual de vacinação. No entanto, há outros problemas que também podem afetar a saúde do seu cãozinho.

Doenças de filhotes Prevenção: calendário de vacinaçãocalendário de vacinação

Assim como nas crianças humanas, os filhotes caninos também recebem 95% da sua imunização do leite materno, mas ele só é produzido por pouco tempo após o parto. Doenças graves podem ser evitadas com três doses da vacina múltipla (V8, V10, V12 ou V14) aos 60, 90 e 120 dias de vida e a anti-rábica uma semana após a terceira dose da múltipla. Elas devem ser repetidas em dose única anualmente para todas as raças.

Esse calendário deve ser seguido independente do porte do filhote, seja de raças pequenas, como Poodle, York Shire ou Pug; médias, como American Pit Bull Terrier, Filhote de American BullyBeagle ou Chow Chow; grandes, como Collie, Dálmata e Husky Siberiano; ou ainda gigantes, como Dog Alemão, Malamute do Alaska ou São Bernardo. Eles precisam de alimentação diferenciada específica para filhotes do seu tamanho, como determinado nas embalagens de ração, mas o calendário de vacinação é o mesmo.

Doenças de filhotes sintomas: TratamentoDoenças de filhotes sintomas

É sempre bom saber a respeito das doenças e como elas se manifestam, assim, logo nos primeiros sintomas, é possível levar o filhote ao veterinário e começar o tratamento adequado. As vacinas múltiplas se diferenciam quanto ao número de cepas de leptospirose (8, 10, 12, 14), mas muitas ainda não existem no Brasil, por isso a octopla é a mais comum por aqui. As principais protegidas pela vacinação – e de difícil tratamento, por isso com imunização tão importante – são a cinomose, parvovirose canina, leptospirose canina e a hepatite infecciosa canina.

Doenças que a vacina previne
Cinomose Ela é a mais letal para cães de até 1 ano, sendo altamente contagiosa por secreções do nariz e da boca ou mesmo pelo ar. No estágio inicial, apresenta febre, perda de apetite, indisposição, diarreia, vômitos, aumento das secreções nasal e ocular e dificuldade respiratória. Evolui para danos neurológicos, falta de coordenação motora e na maioria das vezes leva ao óbito
Parvovirose Com alta taxa de mortalidade, é transmitida por urina ou fezes de animal contaminado e provoca diarreia, desidratação, falta de apetite e apatia. Evitar sair de casa antes do ciclo completo da vacinação do filhote é o melhor meio de prevenção.
Hepatite As principais vítimas são os filhotes entre quatro e dez semanas e ela começa com febre branda que pode durar até quatro dias. Evolui para fezes e urina com sangue, sangramentos na boca e aumento dos linfonodos. O melhor é levar o filhote ao veterinário ao menor sinal de febre
Leptospirose Transmitida pela urina de roedores, é preciso ter muito cuidado na época de enchentes, como no verão. Pode ser contagiosa para humanos (zoonose) e a vacinação é imprescindível também no cão adulto. Os sintomas são diarreia, vômitos, lesões na boca do animal, perda de apetite e urina com sangue

Raiva canina a importância da anti-rábica

A vacina anti-rábica, dada uma semana após a última dose da múltipla aos 120 dias, também deve ter repetição anualmente em dose única, assim como a múltipla. Ela previne contra a raiva animal, uma doença infecto-contagiosa cujos principais sintomas são sinais nervosos, aversão à água e à luz, agressividade e paralisia ou semi-paralisia.

É uma das doenças mais conhecidas no mundo inteiro e pode ser transmitida ao ser humano através da mordida do animal contaminado. Causada por um vírus, é centenariamente conhecida também como hidrofobia, pois o animal não consegue beber água por falta de coordenação motora. Há raríssimos casos de cura e sua vacinação é obrigatória no mundo inteiro.

Não esqueça: as vacinas são bem acessíveis e são um ato de amor para o seu filhotinho!

Publicado em 9 de novembro de 2014

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não