Doença em Coelhos

4.00 avg. rating (82% score) - 4 votes

Os coelhos, assim como outros animais, podem ser acometidos por parasitas tanto externos (que ficam na pele e nos pelos) como internos (que ficam no trato gastrointestinal). Os parasitas externos, também chamados de ectoparasitas, mais comuns são os ácaros, pulgas e piolhos que ficam sobre a pele e entre os pelos do animal, provocando inflamação, coceira (prurido), crostas e até hemorragia.

Destes, os ácaros são os mais frequentes, que atingem a orelha, pés, papada e podem se espalhar para o restante do corpo. Existem várias espécies de ácaros, e cada uma costuma atingir uma região específica. O ácaro Psoroptes cuniculli costuma atingir as orelhas dos coelhos. Já o Cheleyletiella parasitovorax atinge o pelo de forma geral, sendo encontrado em qualquer região do corpo do animal.

Os animais doentes costumam ficar agitados, chacoalham a cabeça e se coçam constantemente. O diagnóstico é feito pelo veterinário, com o uso de exames clínico e laboratorial. Seu tratamento é feito com medicação adequada, demorando no mínimo 30 dias com várias aplicações da medicação.
A melhor forma de prevenir é não introduzir animais novos sem fazer uma quarentena adequada, uma boa higienização do ambiente, gaiolas e recintos. É muito comum em animais comprados em lojas tipo Pet shop virem com ácaros.

Já os parasitas internos, também chamados de endoparasitas, costumam afetar mais os coelhos filhotes e jovens. Os mais comuns são as eimérias, sendo que cada uma tem uma região do corpo onde atua, intestino ou fígado geralmente, e a intensidade do quadro varia conforme a quantidade de oocistos atuantes, imunidade do animal afetado, etc. Os animais doentes podem apresentar perda de peso, ficarem amuados, diarréia que varia de leve até forte, e até morte repentina do animal.

O diagnóstico é feito por exame laboratorial, com a utilização de microscópio e também pela avaliação clínica. O tratamento é feito com medicações coccidiostáticas colocadas na água de beber ou na ração, ou também pela administração direta via oral. É sempre muito importante manter a higiene como uma prevenção e também durante o tratamento.

Os coelhos novos devem ser sempre mantidos separados dos que já estão em casa, como uma forma de quarentena, até que se tenha certeza de que sua saúde não afetará a dos demais. Em caso de dúvida sempre consulte um veterinário.

M.V. Thalita Queté – CRMV 28542
Atendimento em domicílio para animais silvestres e exóticos
(11) 97169-0827 / 94906-1346
www.draquete.vet.br

Publicado em 6 de julho de 2013

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não