Diabetes mellitus em cães: cuidados nutricionais na prevenção e no tratamento

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

De acordo com a Associação Brasileira de Endocrinologia Veterinária (Abev) a diabetes mellitus é uma das principais doenças endócrinas entre cães e gatos. Saiba como os cuidados nutricionais ajudam na prevenção e no tratamento de cães e gatos.

Segundo artigo do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), a diabetes mellitus é um distúrbio complexo que resulta na incapacidade das ilhotas pancreáticas de secretar insulina e/ou de uma ação deficiente da insulina nos tecidos.

Diabetes mellitus em cães cuidados nutricionais na prevenção e no tratamentoExistem duas formas de diabetes mellitus: a diabetes tipo I e a diabetes tipo II. No tipo I, conhecido como insulino-dependente, há a perda da função das células beta. A doença tipo I é marcada por hipoinsulinemia e elevação mínima ou inexistente na insulina endógena, após a administração de um secretagogo de insulina, como a glicose. Essa forma da doença pode ser estimulada por ileíte, pancreatite, doenças e drogas antagonistas da insulina.

Por sua vez, a diabetes de tipo II, conhecido como não insulino-dependente, é mais rara em cães e mais comum em gatos. Neste caso, a destruição das células beta não configura a alteração patológica predominante, mas sim o prejuízo da secreção de insulina por parte das células betas, resistência à insulina nos tecidos responsivos às substâncias e/ou aceleração da produção de glicose hepática. O tipo II costuma ser provocado pela obesidade.

Independentemente do tipo, a diabetes mellitus é preocupante por ser uma endocrinopatia comum nos cães e, principalmente, por ser fatal caso não seja diagnosticada de modo correto e tratada de maneira adequada. Por isso, é importante a atenção aos cuidados nutricionais, à prevenção e ao tratamento da doença. Para cuidar do cão enfermo é preciso conciliar mudanças na dieta, exercícios físicos e terapia insulínica.

Diabetes mellitus em cães: cuidados nutricionaisDiabetes mellitus em cães cuidados nutricionais

Para os cães com diabetes mellitus, deve ser oferecida uma dieta rica em carboidratos complexos, como fibra alimentar e amido. Isso se dá porque a fibra complexa apresenta uma digestão mais prolongada, permanecendo no trato gastrintestinal por mais tempo e diminuindo a oscilação na hiperglicemia pós-prandial.

Além disso, a dieta deve ser livre de açúcares simples, que são absorvidos rapidamente, piorando a hiperglicemia pré-existente. Também devem ser restritos gorduras, fornecendo um teor menor que 20% no valor energético para reduzir a cetonemia. As proteínas são necessárias em todos os processos metabólicos, portanto não devem estar ausentes. Porém, quantidades moderadas (14-30%) são adequadas para não agravar o quadro de diabetes.

Outra indicação para a dieta é em relação à restrição calórica: ela só deve ser realizada em animais acima do peso. Cães abaixo do peso devem ser alimentados com dietas inicialmente energéticas e, à medida que ganharem peso, deve ser oferecido um alimento com restrição de energia.

Diabetes mellitus em cães: prevenção

A principal forma de prevenção da diabetes mellitus em cães é controlar a obesidade. Para isso, é necessário não fornecer dietas ricas em gorduras e também evitar o uso prolongado de drogas diabetogênicas, com glicocorticóides e progestágenos.

Diabetes mellitus em cães: tratamentoDiabetes mellitus em cães tratamento

Como grande parte dos cães diabéticos são obesos, é preciso iniciar o tratamento controlando a dieta e reduzindo o peso do animal. O cuidado vai atuar para evitar as complicações das taxas elevadas de glicose no sangue, programa de exercícios e controle de doenças simultâneas.

No controle da glicose, são aplicadas doses de insulina de acordo com o peso do cão e o tipo de insulina adequada. O objetivo é permitir ao cão e ao proprietário se acostumarem com a nova rotina de injeções diárias e alterações na dieta. Para tal, é necessário o acompanhamento e re-exame do animal, o que ocorre, geralmente, uma vez por semana.

Para manter o peso em dia e o nível de glicose, uma rotina de exercícios vai ser criada para o cão, começando com caminhadas curtas até o aumento das atividades para um nível tolerável ao cão e adequado ao estado da doença.

 

Publicado em 2 de dezembro de 2014

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não